Brasil: um bom país para os odontologistas

Um artigo recente do portal Terra aponta que os odontologistas brasileiros sentem que o país apresenta boas perspectivas para seu futuro profissional. Mais uma interessante nota de otimismo.

O rácio de odontologistas no Brasil, em relação à população, é o mais alto do mundo. O país é, de fato, uma potência nesta área (que nem no futebol) e não é estranho o fato de, desde há vários anos, um bom número de especialistas em medicina dentária encontrar trabalho no exterior.

Mas nem isso impede que a profissão tenha bom futuro “cá dentro”. Primeiro, devido à super concentração de profissionais nos três estados “de sempre”. São Paulo, Rio e Minas têm mais de metade de todos os especialistas. Há mais Brasil para “conquistas”.

Depois, porque boa parte da população brasileira ainda não faz visitas regulares no dentista. Assim, problemas continuarão a surgir – que de qualquer forma precisarão ser reparados mais tarde. E certamente que nenhum governo, independente de sua cor política, estará interessado em que, já bem dentro do século XXI, sigamos com parte de nossa população banguela – símbolo triste e bem visível de pobreza e subdesenvolvimento.

Qualidade do ensino

O artigo do Terra aponta ainda a alta qualidade do ensino de odontologia no Brasil, ao nível dos melhores do mundo. Não somos potência à toa; mais uma vez, tal como acontece no futebol, nossos profissionais são muitos mas também são muito bons. As conclusões de que o Terra fala, ao nível da educação, são do Center for World University Rankings (CWUR), que em português se poderia traduzir por “centro para as classificações das universidades mundiais”. Essa instituição é uma das mais renomadas à nível mundial no quesito de classificar universidades por sua qualidade.

Os dentes dos brasileiros estão em boas mãos. Quando foi a última vez que visitou seu dentista?